PROCURA MUNDIAL DE GÁS NATURAL VAI AUMENTAR 1,4% AO ANO ATÉ 2030

A quota de energia primária do gás natural é atualmente de 21% e pode subir até aos 33% até 2050. A procura energética deverá crescer nos próximos anos em todo o mundo à medida que aumenta a classe média nos países emergentes. As estimativas apontam para 3 mil milhões de pessoas na chamada classe média mundial em 2030, pressionando de uma forma nunca vista a procura por produtos como veículos, aparelhos eléctricos ou viagens.
O Diretor Executivo da AGN, Associação Portuguesa das Empresas de Gás Natural, considera que “esta crescente procura mundial por energia vai necessariamente ter impacto no atual mix energético. A situação ambiental do Planeta obriga à utilização de energias mais limpas e eficientes e a conjuntura económico-financeira obriga a uma solução de baixo custo a médio e longo prazo. O gás natural é a única fonte energética que responde a este duplo desafio, é do ponto de vista ambiental muito mais favorável que o petróleo e o carvão e é um parceiro incontornável das energias renováveis”.
António Pires, que participou na Malásia, num encontro entre as agências internacionais de energia e os principais produtores e comercializadores mundiais de gás natural, lembra que “após o acidente de Fukushima foi o gás natural quem deu resposta às necessidades energéticas do Japão. É um exemplo limite, mas que se repete noutros países, que estão a adotar políticas que aumentem a quota do gás natural. Todos os estudos apresentados demonstram que o gás natural tem de ser um pilar no futuro energético, quer para diminuir as emissões poluentes quer para conter os custos”.

17 julho 2012