Portgás e INEGI criam laboratório para simular injeção de hidrogénio na rede de gás natural

18/04/2022 | Associadas

A Portgás reforçou a parceria com o INEGI - Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial - para criar um laboratório e bancas de ensaios nas instalações do Instituto para testar a injeção de H2 na rede de distribuição de gás natural. Este passo segue-se à primeira fase da parceria, que contemplou o estudo da compatibilidade entre o hidrogénio e o fluxo de gás nas redes de distribuição, nos diversos níveis de pressão.

"Na sequência dos resultados obtidos, passamos da teoria à prática, e avançamos com os ensaios necessários para avaliar o impacto da injeção de H2 - ao nível dos materiais, dos processos de queima e das condições de segurança e operacionais", conta Lucas Marcon, responsável pelo projeto no INEGI.

O laboratório já está operacional, e será palco de testes em bancas de ensaio que simulam as condições das redes metálicas de distribuição e abastecimento da Portgás, incluindo todos os seus componentes (tubagem, válvulas, sensores, vedantes, entre outros), bem como no funcionamento dos equipamentos de queima abastecidos a partir das mesmas.

Com base nesta avaliação, a equipa de especialistas do INEGI em cooperação com a Portgás, vão definir os requisitos e especificação das futuras infraestruturas e instalações, de forma a operarem em condições de eficiência e segurança para cenários de injeção gradual de hidrogénio na rede operada pela Portgás. 

O projeto insere-se na estratégia de Descarbonização e Digitalização dos ativos de distribuição da Portgás, assente na redução de emissões de gases de efeito estufa e compromisso com a descarbonização do setor, na priorização de estudos na área da viabilização da injeção de gases de origem renovável nas infraestruturas do Grupo REN e no reforço do seu papel de operador sem qualquer participação em investimentos ou interesses de produção de gás. 

Já o INEGI, em linha com a com a estratégia nacional de descarbonização dos diversos setores da economia, tem vindo a apoiar o desenvolvimento de tecnologias de produção, armazenamento e utilização do hidrogénio produzido com base em fontes de energias renováveis.

Fonte: REN

Todas as notícias